O PERITO CRIMINAL TAMBÉM É POETA DE CORDEL

A nossa Literatura de Cordel é um tipo de poema popular, oral e impressa em folhetos, geralmente expostos para venda pendurados em cordas ou cordéis, o que deu origem ao nome.

O nome de cordel é original de Portugal, que tinha a tradição de pendurar folhetos em barbantes. Essa tradição se espalhou para o Nordeste do Brasil, onde o nome acabou sendo herdado, porém a tradição do barbante não se manteve.

A literatura de cordel é escrita em forma rimada e alguns poemas são ilustrados com xilogravuras, o mesmo estilo de gravura usado nas capas. As estrofes mais comuns são as de dez, oito ou seis versos. Os autores recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, acompanhados de viola, além de fazerem as leituras ou declamações muito empolgadas e animadas para conquistar os possíveis compradores.

Dentre tantos poetas do cordel, aqui destacamos o nosso colega PERITO CRIMINAL FEDERAL, Doutor ALYSSON MEDEIROS, que nos brinda com os Poemas:

 

Download - Encontro do MATUTO com o PERITO ENGENHEIRO.pdf



Comentários

Facebook