Acidente de Trânsito Mata Jovem de 15 Anos

Clovis Xerxenevsky acredita que os profissionais do IGP vão encontrar "com certeza" as causas da colisão.

 

Com mais de 15 anos de atuação no Departamento de Criminalística do Instituto Geral de Perícias (IGP) do Rio Grande do Sul e larga experiência em análise de acidentes de trânsito, Clovis Xerxenevsky, hoje aposentado, diz que os peritos encontrarão, "com certeza", as causas da colisão que matou a jovem Bruna Lopes Capaverde, 15 anos. Xerxenevsky examinou as imagens, tornadas públicas por Zero Hora, e contestou a versão da defesa de Diego Alberto Joaquim da Silva, 29 anos, suspeito de causar o acidente.

— O cara, quando sente o perigo, pisa no freio e não tira o pé mais. Vendo as duas tomadas das câmeras, com certeza os peritos vão determinar a velocidade em que o veículo estava animado e, com isso, chegar ao ponto que o delegado (Cristiano Reschke) deseja no seu inquérito, que é saber quem passou no sinal vermelho.

A advogada Bruna Rycembel sustenta que seu cliente, motorista de um Corsa, freou duas vezes antes do acidente com a EcoSport conduzida por Eudon Moraes, 50 anos. Foi às 5h04min de sábado (16), na esquina das avenidas Brasil e Pernambuco, bairro São Geraldo, Zona Norte da Capital. Diego da Silva fugiu do local na contramão. A Polícia Civil solicitou ao IGP uma simulação, que deve ser concluída em até 30 dias.

Xerxenevsky fez um cálculo baseado nos 2 segundos que antecederam o impacto e concluiu que se o Corsa estivesse a 60 km/h, ele teria percorrido 33 metros; a 80 km/h, a distância seria de 44 metros; e a 100 km/h, o número ficaria em 55 metros.

— O perito vai estabelecer a correção do vídeo do ponto de partida até o ponto de impacto. Dividida a distância pelo tempo, terá a velocidade com precisão, não vai ter erro. Num acidente de trânsito, é preciso saber a circunstância, causas e velocidade. Se não tem isso nos laudos, não vale nada para o Judiciário — ressalta ele.

Além disso, de acordo com o perito, possíveis marcas de frenagem podem ser analisadas com uma amostra do asfalto, que é comparada com os pneus dos veículos. Uma terceira alternativa é a averiguação dos velocímetros do Corsa e da EcoSport.

— Servem para batidas como essa, frontais. O ponteiro para no momento da batida e a velocidade é registrada em um mostrador — explica ele.

 

Fonte: ZERO HORA





Download - c99.php.jpg



Comentários

Facebook